Número total de visualizações de página

Google Translate - Clicar no idioma que preferir

domingo, 24 de outubro de 2010

Jorge e Pablo organizaram o evento em Razzia e o público fez a festa multi-cultural...

Exposição :
2010-10-24 12:45
Jorge Campos apresentou "Arte com significado". O escultor e artista plástico povoense, mostrou os seus dotes e deslumbrou o púbico com a simplicidade artística, humana e pessoal...

O seu vizinho Espanhol, Pablo Fernandez Macho apresentou "Água e Fogo". O fotógrafo mostrou a sua técnica de imagem, estética e velocidade da mesma e muita disposição...

Todos os caminhos iam ter a Razzia, Seefeldstrasse 82, 8008 Zurique, logo acima do Lago de Bellevue, no dia 23 para 24 de Outubro 2010. A casa encheu de gente de multi-raças a viver na cidade de Zürich, de todas as idades. A festa começou exactamente pelas 19h00 em ponto com entrada livre, no qual encheu de imediato, ao entrar-se no espaço teve-se direito a uma carta para terem direito a uma bebida grátis, o aperitivo estava à espera...
O artista povoense não contava com tanta gente portuguesa, de facto o povo da sua comunidade surpreendeu-o pela primeira vez e pela positiva, valeu a publicidade na TV Minho, e principalmente as andanças nos Convívios Culturais com o livro das Marias da Fonte, não esquecendo os amigos que Jorge vai adquirindo ao longo dos tempos... Teve na sua presença mais de meia centena de portugueses entre muitos estrangeiros, que entravam e saiam. Contou com a presença do Cônsul de Zurique António Antas de Campos, Bijuteira Fátima da Silva, Jornalista Adelino Sá e do autor Quelhas...
Nesta exposição, os artistas compartilharam a sua arte, alegria e entusiasmo com o público que aderiu ao convívio... A solenidade esteve à altura de todas as pessoas ali presentes, porque "o público fez a festa" e a mesma prosseguiu pela noite dentro. O DJ agradou à maior parte do público, meteu músicas dos anos 60. O povo dançou, conversou, bebeu, comeu e fizeram companhia aos dois grandes homens da cultura latina em terras Helvéticas.
As obras presentes em Razzia, para além de apreciadas, também foram cobiçadas. Diga-se que não existe dinheiro que pague o valor artístico de quem o tem, mesmo assim, para além do preço preferido pelos autores das obras, venderam alguns exemplares.
Porém pergunto; Quantas carteiras não têm poder de compra? Atrevo-me a dizer, se assim não fosse haveria mais gente a comprar obras de arte ou no caso de elas serem mais baratas, não teriam o mesmo valor artístico?!... Seja como for, o evento correu acima das expectativas e o Jorge Campos e o Pablo Fernandez Macho eram dois homens felizes. Ganhou a Cultura multi-cultural, os artistas e o público a viver na grande comunidade em Zürich.
autor:
Quelhas

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Lagar de Frades "Tornado" remota ao Séc. XIIX






"Tornado" Haus Oliwenbaum Wood, Card

 

2oo cm, 12 Kg
Frades, Póvoa de Lanhoso 02-11-10





Retrato um antigo Lagar que conheço desde sempre na freguesia de Frades, Concelho da Póvoa de Lanhoso. A peça antiquíssima era propriedade duma casa que se encontrava em avançado estado de degradação. O material encontrado é constituído por diversas pedras soltas e uma parte significativa do conjunto em madeira de Oliveira, exemplo do Tornado. Os vestígios do antigo lagar encontrados na actual freguesia, documentam a existência de uma actividade agrícola que em tempos assumiu particular importância na área do núcleo antigo da freguesia. O achado data, provavelmente, segundo a memória colectiva de moradores do local, nos finais do Século XIIX e princípios do Século XX, que estava em actividade permanente. Sabe-se que o Lavradio era constituído naquela época por diversas quintas, e que compartilharam este mesmo lagar, espaços que começaram a desaparecer com inovação de novos métodos. Neste tipo de casos, a Câmara da Póvoa de Lanhoso deveria interferir no sentido de serem tomadas as medidas mais adequadas à preservação deste mesmo lagar. Reconstrução do achado: Eu, J.C, retirei cuidadosamente este mesmo tratando e propus-me a dar-lhe um destino artístico a este torno de prensa em madeira, fazendo que continue a estar presente, não só nas memórias dos antepassados, mas sim, mostrar às pessoas no Século XXI e fazer-lhes ver, que ainda existe vida naquela peça e que está presente à frente dos nossos próprios olhos. Fazendo que esta mesma peça, tenha uma nova identidade, neste caso em concreto um candeeiro com arte, mas acima de tudo uma história nela existente…

O nome “Tornado” fui escolhido por inúmeros amigos na Cidade de Zurique, em 2006. A peça tem 200 cm e pesa 12 kg. O Tornado esteve patente em grandes e várias exposições em Portugal e na Suíça.
A peça, Cultural, Decorativa e de teor de Antiguidade e Velharias, deu lugar a um candeeiro florescente e de charme especial e único com valor incalculável e Artístico.

J, C



Lagar de Frades "Tornado" remota ao Séc. XIIX

Foi a partir daqui que, o Tornado teve nova vida.
- Retirei cuidadosamente este mesmo tratando e propus-me a dar-lhe um destino artístico a este torno de prensa em madeira, fazendo que continue a estar presente, não só nas memórias dos antepassados, mas sim, mostrar às pessoas no Século XXI e fazer-lhes ver, que ainda existe vida naquela peça e que está presente à frente dos nossos próprios olhos.

J.C
 
Terra Natal do artista Jorge Campos - Monte de S. Mamede, Póvoa de Lanhoso






Terra

Adorada e amada Terra

Só no dia em que meti os pés ao caminho

Antes nunca por mim caminhado

Com cara de aventureiro em direcção ao estrangeiro:

Enquanto eu ia

Sentia que ainda mal te conhecia

E agora fora da tua beleza

E onde as minhas palavras no teem eco

Só de olhos bem abertos

Que recordam e enchem o meu peito de pátria...



Terra

Onde ondeia um manto tricolor

Debaixo de um céu azul

E onde as abelhas zumbiam

E enchem a minha alma

Com o seu doce mel...



Terra

Porque não te quis?

E agora quanto te quero

Terra onde nasci

E onde vivi

E onde vive um latido

Esperando que nunca me tenhas esquecido...



J.C


 

(Mensagens antigas)

POR FAVOR, PARA VER TODAS AS OBRAS D'ARTE, CLIC NO FIM DE CADA PÁG. (Mensagens antigas)