Número total de visualizações de página

Google Translate - Clicar no idioma que preferir

domingo, 24 de outubro de 2010

Jorge e Pablo organizaram o evento em Razzia e o público fez a festa multi-cultural...

Exposição :
2010-10-24 12:45
Jorge Campos apresentou "Arte com significado". O escultor e artista plástico povoense, mostrou os seus dotes e deslumbrou o púbico com a simplicidade artística, humana e pessoal...

O seu vizinho Espanhol, Pablo Fernandez Macho apresentou "Água e Fogo". O fotógrafo mostrou a sua técnica de imagem, estética e velocidade da mesma e muita disposição...

Todos os caminhos iam ter a Razzia, Seefeldstrasse 82, 8008 Zurique, logo acima do Lago de Bellevue, no dia 23 para 24 de Outubro 2010. A casa encheu de gente de multi-raças a viver na cidade de Zürich, de todas as idades. A festa começou exactamente pelas 19h00 em ponto com entrada livre, no qual encheu de imediato, ao entrar-se no espaço teve-se direito a uma carta para terem direito a uma bebida grátis, o aperitivo estava à espera...
O artista povoense não contava com tanta gente portuguesa, de facto o povo da sua comunidade surpreendeu-o pela primeira vez e pela positiva, valeu a publicidade na TV Minho, e principalmente as andanças nos Convívios Culturais com o livro das Marias da Fonte, não esquecendo os amigos que Jorge vai adquirindo ao longo dos tempos... Teve na sua presença mais de meia centena de portugueses entre muitos estrangeiros, que entravam e saiam. Contou com a presença do Cônsul de Zurique António Antas de Campos, Bijuteira Fátima da Silva, Jornalista Adelino Sá e do autor Quelhas...
Nesta exposição, os artistas compartilharam a sua arte, alegria e entusiasmo com o público que aderiu ao convívio... A solenidade esteve à altura de todas as pessoas ali presentes, porque "o público fez a festa" e a mesma prosseguiu pela noite dentro. O DJ agradou à maior parte do público, meteu músicas dos anos 60. O povo dançou, conversou, bebeu, comeu e fizeram companhia aos dois grandes homens da cultura latina em terras Helvéticas.
As obras presentes em Razzia, para além de apreciadas, também foram cobiçadas. Diga-se que não existe dinheiro que pague o valor artístico de quem o tem, mesmo assim, para além do preço preferido pelos autores das obras, venderam alguns exemplares.
Porém pergunto; Quantas carteiras não têm poder de compra? Atrevo-me a dizer, se assim não fosse haveria mais gente a comprar obras de arte ou no caso de elas serem mais baratas, não teriam o mesmo valor artístico?!... Seja como for, o evento correu acima das expectativas e o Jorge Campos e o Pablo Fernandez Macho eram dois homens felizes. Ganhou a Cultura multi-cultural, os artistas e o público a viver na grande comunidade em Zürich.
autor:
Quelhas

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Lagar de Frades "Tornado" remota ao Séc. XIIX






"Tornado" Haus Oliwenbaum Wood, Card

 

2oo cm, 12 Kg
Frades, Póvoa de Lanhoso 02-11-10





Retrato um antigo Lagar que conheço desde sempre na freguesia de Frades, Concelho da Póvoa de Lanhoso. A peça antiquíssima era propriedade duma casa que se encontrava em avançado estado de degradação. O material encontrado é constituído por diversas pedras soltas e uma parte significativa do conjunto em madeira de Oliveira, exemplo do Tornado. Os vestígios do antigo lagar encontrados na actual freguesia, documentam a existência de uma actividade agrícola que em tempos assumiu particular importância na área do núcleo antigo da freguesia. O achado data, provavelmente, segundo a memória colectiva de moradores do local, nos finais do Século XIIX e princípios do Século XX, que estava em actividade permanente. Sabe-se que o Lavradio era constituído naquela época por diversas quintas, e que compartilharam este mesmo lagar, espaços que começaram a desaparecer com inovação de novos métodos. Neste tipo de casos, a Câmara da Póvoa de Lanhoso deveria interferir no sentido de serem tomadas as medidas mais adequadas à preservação deste mesmo lagar. Reconstrução do achado: Eu, J.C, retirei cuidadosamente este mesmo tratando e propus-me a dar-lhe um destino artístico a este torno de prensa em madeira, fazendo que continue a estar presente, não só nas memórias dos antepassados, mas sim, mostrar às pessoas no Século XXI e fazer-lhes ver, que ainda existe vida naquela peça e que está presente à frente dos nossos próprios olhos. Fazendo que esta mesma peça, tenha uma nova identidade, neste caso em concreto um candeeiro com arte, mas acima de tudo uma história nela existente…

O nome “Tornado” fui escolhido por inúmeros amigos na Cidade de Zurique, em 2006. A peça tem 200 cm e pesa 12 kg. O Tornado esteve patente em grandes e várias exposições em Portugal e na Suíça.
A peça, Cultural, Decorativa e de teor de Antiguidade e Velharias, deu lugar a um candeeiro florescente e de charme especial e único com valor incalculável e Artístico.

J, C



Lagar de Frades "Tornado" remota ao Séc. XIIX

Foi a partir daqui que, o Tornado teve nova vida.
- Retirei cuidadosamente este mesmo tratando e propus-me a dar-lhe um destino artístico a este torno de prensa em madeira, fazendo que continue a estar presente, não só nas memórias dos antepassados, mas sim, mostrar às pessoas no Século XXI e fazer-lhes ver, que ainda existe vida naquela peça e que está presente à frente dos nossos próprios olhos.

J.C
 
Terra Natal do artista Jorge Campos - Monte de S. Mamede, Póvoa de Lanhoso






Terra

Adorada e amada Terra

Só no dia em que meti os pés ao caminho

Antes nunca por mim caminhado

Com cara de aventureiro em direcção ao estrangeiro:

Enquanto eu ia

Sentia que ainda mal te conhecia

E agora fora da tua beleza

E onde as minhas palavras no teem eco

Só de olhos bem abertos

Que recordam e enchem o meu peito de pátria...



Terra

Onde ondeia um manto tricolor

Debaixo de um céu azul

E onde as abelhas zumbiam

E enchem a minha alma

Com o seu doce mel...



Terra

Porque não te quis?

E agora quanto te quero

Terra onde nasci

E onde vivi

E onde vive um latido

Esperando que nunca me tenhas esquecido...



J.C


 

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Boca

Sabor dos teus lábios
Boca
Aqueles que o seu sabor deixa,e vontade de voltar para saborear-te de novo, tal è a sua doçura,e nos seus movimentos, enquanto procura as formas das palavras, só posso sentir de quanta sensibilidade são feitos.
A tua boca!
Agora há alguém que diz que todos os meus caminhos me levam há tua boca.E eu digo que è verdade,porque em cada noite me aproximo deles,arastando uma cadeira para que me possa acomodar há sua frente, e devagarinho deixando-me adormecer com o teu nome beijando a minha boca.


J.C.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Cultura com cultura

Autor "Quelhas" e o Cônsul de Zürich, António Antas Campos, na apresentação d' O livro da Criança, com exposição de pinturas de vários artistas povoenses, juntamente com Jorge Campos, convidado ilustre, na LusoLivro.

O artista foi o grande convidado de honra para o lançamento de “O livro da criança” do autor Quelhas na livraria portuguesa LusoLivro em Zürich em 2007. As suas obras d, arte; Pinturas e Esculturas, estiveram patentes em conjunto com obras de artistas conceituados, exemplo: Justina Guedes, Ana Barbosa, Jorge Nascimento, José Loureiro, Domingos Ferreira, Zé Maria, Amaro Lopes e Quelhas… No evento estiveram o Conselheiro da Comunidade Portuguesas e o Cônsul em Zurique, a Imprensa, Jornais e rádio Lora, onde o Jorge deu uma entrevista.

Multi-Cultura

Exposição de pintura na LusoLivro em Zürich, com presença dos conceituados artistas plásticos, Jorge Campos, Quelhas, Justina Guedes, Amaro Lopes, José Maria, Jorge Nascimento, Ana Barbosa, Domingos Ferreira e José Loureiro.

Não existe noite dentro de mim

Não existe noite dentro de mim

Não existe noite dentro de mim.
Todas as coisas perderão as formas quando ao acordar não te vir...
Neste caso a realidade è invisível perante os nossos olhos, sem poder ver as feridas, mas sentir a dor, desejando acreditar que nada è realidade, quando antes a imaginação nos levava a sonhar, e voar. Por esta razão o tempo da-nos um tempo para cada tempo...


J.C.


Titulo (Quatro paredes)


Quatro paredes

Titulo (O mistério entre a Terra e o Univerço)


O Universo...

A incrível diferença de escala entre o pequeno mundo em que vivemos a cada dia e a vastidão de todos os tempos e do espaço suscita a questão de saber se algum dia seremos capazes de compreender a plenitude do cosmos. Mas isso não nos impede de tentar. Na verdade, contemplando grandes incógnitas é um dos mais antigos passatempos na experiência humana.

Talvez nunca venhamos a entender o universo inteiro, mas podemos se apreciar o fato de que ele é tão complexo que nos escapa.

Apesar dos avanços tecnológicos, estamos longe de conhecer na totalidade os mistérios do nosso Universo. Não há lógica em dizer que nada havia antes dele ou onde é o limite dele, se é que há. Há algo mais... Se nada havia, como tudo começou? Essa é a chave de tudo. Onde e como tudo teve início e quando e como tudo terá fim. Talvez nunca poderemos responder há essas perguntas, mas seja como for, nada nos impede de tentar achar uma resposta para todos esses mistérios.

J.C.

Titulo (Dança)



Titulo (Dança)

Este mundo em que vivemos é a Dança do seu criador.

A dança é o movimento do universo
concentrado no indivíduo,
onde o corpo do bailarino manifesta a iluminação da alma.
Dançar é escrever com o corpo,
no espaço estendido à frente,
alongar-se, encolher-se,
rodopiar, inclinar-se.
jogar-se em absoluta confiança
na Outra pessoa.
Dançar é tocar música
com gestos, com os pés,
absolutamente sem voz.
Na arrasadora maioria das vezes.
Dançar é interpretar com meneios
e oscilações impressionantes.
E o corpo é o instrumento dos dançarinos,
e as suas mãos perecem borboletas,
que desenham e escrevem no ar…
J.C.

Sem Titulo I

Titulo (Poder)


Titulo (Poder)

Boémia


Boèmia 60x90 cm

Mulher boémia

As marcas de batom na sua boca,
são sinais de como anda o seu amor.
Mulher boémia
Quando sai de casa não tem hora pra voltar.
Mulher boémia
Por isso a vida de boémia,
é viver a beleza da própria tristeza,
a fim de desprender a sua própria solidão.
Esta é a constante fuga da própria realidade,
e por seu próprio comodismo se recusa a modificar,
pois, é mais fácil ser boémia do que enfrentar realidade.
J.C.

Titulo (Luz)

Titulo (O Silêncio de Hengadin Davos)


Titulo (O Silêncio de Glaros)


Titulo (Solidão)

Diabos bêbados, observam a Lua

Sei que vivo ao vosso lado, e também sei que vivo ao lado deste Mundo, e por um tempo vivo ao teu lado também! Onde às vezes esqueço o luto e fico sempre cinco minutos mais, sabendo que os relógios nunca param no tempo! E acabo por ficar sempre cinco minutos mais, e logo ao despertar no amanhecer, perdidos e vermelhos, os teus olhos negros feridos pela Dor, fico desejando que tu fiques cinco minutos mais.
J.C.

Hàrem

Zürich

Um' par...

Limmatquei Zürich

O menino e a Luz da Lua



 Eu sei quando te deitas e quando te levantas, todos os teus caminhos são-me conhecidos. Porque dentro de mim tu vives, tu te movimentas ainda dentro de um ventre, eu imaginava mil imagens, mas já eras conhecido. Eu ajudei que saísses das entranhas da tua mãe no dia que nasces-te. Ser mal apresentado por aqueles que não me conhece. Só quero que saibas que não estou longe, nem estou zangado, se por mim fosse e pela tua Mãe no teu rosto, já mais existirão lágrimas. Quero que saibas que sempre estive e sempre estarei presente. Com estas palavras só quero dizer-te que, o dia que nasces-te, parece ainda presente, mas já é passado, hoje é o dia da tua primeira comunhão, e dentro de pouco tempo serás um soldado pronto para lutar contra os ventos, com todas as tuas forças e energias e sabedoria…


Do teu Pai
Décimo aniversário do Jonny

Amado Jonny
Amado Filho

Amada estrela que iluminas os nossos olhos

Amado menino que enches os nossos pulmões em cada um dos teus movimentos...

Hoje é o dia do teu aniversário e tens agora dez anos

Sabemos que te preparas para um Mundo, um Mundo onde tudo é incerto, mas queremos que saibas que nunca estarás só, queremos que saibas que em cada momento vamos estar aqui para ouvir cada uma das tuas dificuldades e glorias, não te esqueça sempre vamos estar aqui… Querido menino com estas palavras quero deixar-te alguns conselhos porque neste Mundo os bons conselhos nunca são de sobra. Neste Mundo ninguém nasce sábio, aqui o tempo e a experiência ensina-nos muito, e limpa a consciência de cada um de nos, quando te falo isto é apenas por uma simples razão porque eu e Mama já observamos o Mundo há mais tempo que tu. Com isto só quero dizer que nem tudo o que brilha é ouro, e porque já vi cair algumas estrelas, já saboreei os gostos mais amargos… Nada é grande se não é bom, e nada é verídico se não dura. Não te deixes enganar pela ideia que te podes aconselhar sozinho, porque este Mundo de material é demasiado pouco para os homens, e o Mundo invisível não o podem entender todas as pessoas… Quando desejares algo só tens que escutar a ti mesmo, e o que te diga a sabedoria que existe dentro de ti, mas nunca confiando imediatamente em tudo, ouve os conselhos e reflecte sobre eles antes de tomar uma decisão, porque não são sábios aqueles que pensão que sabem tudo…
Meu amado menino muitas vezes é fácil desenhar algo, o mais difícil muitas vezes é compreender algo. Quando desejares alguma coisa, deseja-a do fundo do coração. Trata bem o teu corpo, mas trata melhor a tua alma. Se tiveres alguma coisa, ajuda e da com gosto. Só mais uma cozinha ajuda e obedece a tua mãe, porque ela será sempre a tua mãe, porque ela sempre quis o melhor para ti, e só procura ensinar-te os melhores caminhos. Algum dia entenderas, que muitas vezes os Pais não são perfeitos, mas que te amam mais que a nossa própria vida.
Hoje escrevo assim para ti, e ainda me custa acreditar que bem há pouco tempo tinhas umas mãos e uns dedinhos que pareciam de ceda, e uns bracinhos tão pequenos que quase não conseguias abraçar o meu pescoço.
Meu pequeno e amado menino quero que saibas que és o dono do meu amor e a estrela do meu coração.
Do teu Pai


Vidas paralelas

Tele (So Australiano) e o Reflector em tubos de Àgua

$
 

H.R.Giger,e J.C

H.R.Giger,e J.Campos


Tango



Sem Titulo II

Sem Titulo II

Viagem

La vida es el Arte del encuentro,pero tambien hay muchos desencuentros en la vida. Sé que nuestras dudas son traidoras y nos hacen perder lo que con frecuencia podríamos ganar,solo por el simple miedo de arriesgar. Sobre el amor,se sabe que son como ventanales que llenan las velas de las naves, haciendo que ellos puedan navegar, y algunas veces hacen que se hundan también. Pero si no fuera por el amor,no existirían viajes,no existirían aventuras, y tampoco nuevos descubrimientos.
JC

Quadro tITULO (Escalagem)

Escalagem, outro obby do artista
Jorge Campos

Expo Póvoa de Lanhoso

Presença de Jorge Campos como artista Plástico no Theatro Clube da Póvoa de Lanhoso

Sem titulo

Kiss

im Rampenlicht







A boa disposição reina!

Pintura dedicada há G. Tonel, no fim do seu Doutoramento.
As linhas nela traçadas significam um pouco de si mesma, tanto a nível profissional como no seu estilo de vida...
Exemplo "montanhismo" e a faixa da parte branca ao lado esquerdo representa em cada biquinho um ano, neste caso em concreto foi quando G. Tonel acabou os estudos com 32 anos de idade.
J.C

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Gente da minha Terra (Mariza)

Pintura a Oleo Nua, Nuas, Nu,s...


Uma colecção composta por três quadros titulado ((( N´us )))
E que quero compartir com todos voz.
Na minha opinião são três maravilhas especiais e profundas, que falam da beleza da mulher, isto è aquilo que as vezes digo, filosofar com as cores.

E o primeiro quadro desta colecção, aquele que fala da humildade, sensualidade de um abraço, mas principalmente que não tirem a roupa numa corredia…

J.C

(Mensagens antigas)

POR FAVOR, PARA VER TODAS AS OBRAS D'ARTE, CLIC NO FIM DE CADA PÁG. (Mensagens antigas)